CBVD estreita laço com Japão de olho em 2020

As relações entre Brasil e Japão foram estreitas na busca do fortalecimento do vôlei sentado mundial. Durante os dias 18 a 28 de agosto, o presidente da Confederação Brasileira de Voleibol para Deficientes, Ângelo Alves Neto, e o diretor Técnico da CBVD, Jonatas Borba, estiveram na cidade japonesa de Kakogawa, localizada na província Hyogo, atendendo ao convite da prefeitura local passando também por Tóquio e Hamamatsu.

Assim que desembarcaram em terras orientais, os gestores brasileiros foram recebidos com muita festa por todos os locais por onde passaram. O prefeito de Kakogawa, Yasuhiro Okada, se encarregou de apresentar toda a estrutura da cidade, como hotel e ginásio, para demonstrar o interesse de receber as seleções brasileiras de vôlei sentado durante o período de aclimatação que precede os Jogos Paralímpicos 2020.

Na oportunidade, foi assinado o Termo de Intenção entre a CBVD e a Prefeitura de Kakogawa para que o Brasil fique na cidade. Todos os gastos da viagem foram custeados pelo Governo Japonês.

De acordo com o presidente da CBVD, está foi uma oportunidade de estreitar relações entre os países em favor do esporte. “Primeiro temos que garantir a nossa vaga nos Jogos Paralímpicos, mas, atendemos o convite do Japão e fomos lá conhecer toda a estrutura da cidade de Kakogawa e fiquei impressionado como eles tratam a modalidade. Para se ter uma ideia, o vôlei sentado é praticado em escola de ensino primário por crianças que não possuem deficiência”, destacou Ângelo Neto.

Tóquio

Na capital japonesa, a comissão da CBVD teve a oportunidade de conhecer a Vila Olímpica, além de colher informações sobre toda logística da Paralímpiadas 2020, como deslocamento e estrutura. A comissão da CBVD foi recebida pelo Comitê Paralímpico local.

Hamamatsu

A cidade de Hamamatsu também se colocou a disposição para receber as seleções brasileiras de vôlei sentando durante as Paralímpiadas. Diante disto, os membros da CBVD foram recebidos por representantes da Secretaria de Esporte que apresentaram os ginásios de treinamentos, centros de pessoas com deficiência e escolas mostrando um pouco da cidade e de seus potenciais.

Copyright Confederação Brasileira de Voley para Deficiente. Desenvolvido por Softeam